O mundo dos Fundos Imobiliários com certeza quebra paradigmas sobre investimentos em muitas pessoas. Como é fantástico poder investir em nobres imóveis mesmo tendo pouco capital para investir. Neste rápido artigo, continuamos trazendo fatos práticos aos interessados em saber mais e começar a investir no mercado de Fundos Imobiliários.

Vão aí as 5 coisas que você precisa para começar a investir em FIIs:

1) Avalie seus Objetivos: Trade-Offs (Renúncias Necessárias)

Antes de fazer qualquer investimento (ou mesmo gastar seu dinheiro) é importante definir seus objetivos. Quando se lida com dinheiro ou com seu tempo é necessário entender as renúncias que deverão ser feitas para poder empregar seu tempo ou dinheiro em alguma coisa. Essas renúncias são conhecidas também como Trade-Offs.

Imaginemos que você tenha R$ 50 mil guardados e quer comprar um carro com esse dinheiro. Neste caso você estará “abrindo mão” de investir esses R$ 50 mil em Fundos de Investimento Imobiliário, por exemplo, e receber dividendos mensais de aproximadamente R$ 300 por mês (estimada taxa mensal de 0,6% a.m.). Por outro lado, caso você tenha R$ 10 mil e opte por investi-los em FIIs, você deverá “abrir mão” de uma viagem que gostaria de fazer.

Essas renúncias (“abridas de mão”) são comumente chamadas de trade-offs no mercado financeiro.

Outros trade-offs importantes são aquelas decisões entre onde investir seu dinheiro. Dado que um investidor tem R$ 50 mil para investir, o que ele deve fazer com o dinheiro? Investir em FIIs, aplicar na poupança, comprar CDBs, investir em ações, comprar títulos do tesouro nacional ou optar por outras milhares de oportunidades existentes no mercado? Avalie seus trade-offs!

Uma análise a ser feita é levar em consideração dois fatores básicos: o risco e o retorno. No nosso artigo sobre Cap Rates você pode aprender mais sobre comparação de riscos e retornos.

2) Corretoras de Valores – abra sua conta!

FIIs são negociados na Bolsa de Valores de São Paulo (B3 – Brasil, Bolsa, Balcão) e para comprar cotas é imprescindível que você faça isso através de intermediários, chamados de Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários (CTVM). Dessa forma é necessário abrir uma conta e é importante escolher uma corretora avaliando algumas características:

  • Taxas cobradas: Ao intermediar negociações as corretoras cobram “taxas de corretagem” que podem ter um valor fixo ou ser um percentual do valor negociado. Essas taxas podem variar muito de corretora para corretora então é importante avaliar pelo menos umas 3 ou 4 delas. Provavelmente seu banco possui uma corretora e esta será a mais conveniente para você realizar operações, mas com certeza não será aquela com as melhores taxas de corretagem!
  • Qualidade do Atendimento, Especialização e Home Broker:
    • Atendimento e suporte: Corretoras possuem analistas que estarão aptos a lhe atender para tirar dúvidas tanto sobre a operacionalização de investimentos quanto à dificuldades técnicas. É importante saber se esta corretora oferecerá o pronto atendimento de analistas caso você precise deles. Procure optar por uma corretora que lhe atenda bem.
    • Especialização: Apesar da maioria das corretoras operarem diversos mercados e categorias de investimento, algumas corretoras são especialistas em determinados setores do mercado financeiro, algumas são especialistas em ações, outras em câmbio, outras em FIIs, e assim por diante. Quanto mais especializado e personalizado for o atendimento, mais será cobrado pela corretora.
    • Home Broker: Esta é uma ferramenta que muitas corretoras de valores possuem. O Home Broker é um sistema online para executar operações na bolsa de valores. Através dele, você mesmo pode comprar e vender cotas de FIIs ou ações de empresas listadas, através da internet. Esta modalidade agiliza os investimentos. Operações realizadas pelo home broker de uma corretora na maioria das vezes cobram taxas bem mais baixas do que se a ordem for executada através do telefone. Dessa forma, esta ferramenta é muito importante para a avaliação de uma corretora. Procure uma corretora com um home broker fácil de usar, com boas ferramentas de avaliação (gráficos, histórico de preços, livro de ofertas) e que dê vantagens de taxas em relação à ordens por telefone.

Exemplo de um Home Broker

Valor Mínimo para Investir

Fundos Imobiliários foram concebidos com a finalidade, entre outras, de aumentar o acesso de indivíduos com poucos recursos a investimentos imobiliários de grande porte como complexos de escritórios, condomínios logísticos, shoppings centers, redes de hotéis, etc. Dessa forma, o patrimônio da maioria dos Fundos Imobiliários foram ofertados ao mercado divididos em cotas de R$ 1.000 ou até mesmo R$ 100; fazendo com que o acesso a este produto seja muito amplo. Após a oferta inicial dessas cotas, seu o valor fica sujeito ao mercado e é possível encontrar cotas com os mais diversos valores. Portanto não é preciso muito para fazer esse tipo de investimento.

É importante lembrar que você pode comprar uma ou mais cotas dependendo do valor que você tiver disponível para investimento e também que existe a taxa de corretagem a ser paga à corretora, os emolumentos e uma taxa de custódia mensal à Bolsa de Valores (B3).

TICKERs – A identificação dos Fundos no Mercado

FIIs T2

Ticker é o código que representa uma ação ou fundo negociado na bolsa de valores. Para negociar através de Home Brokers é importante que você saiba qual é esse código para o papel no qual você quer investir. Ele funciona como um apelido.

Os tickers são códigos compostos por um prefixo (4 letras) e um número na sequência que indica a classe/tipo do ativo.

Para uma ação como a da Petrobras por exemplo o ticker é PETR4. As quatro primeiras letras foram escolhidas de forma a lembrar o nome da empresa e o número que segue indica a classe do valor mobiliário. Neste caso o número 4 significa que esta é uma ação tipo preferencial.

Para fundos imobiliários a numeração dada é 11, a mesma da classe de ativos chamada Units. Vamos dar como exemplo aqui um fundo muito conhecido de agências bancárias alugadas para o Banco do Brasil, o BB Renda Corporativa. Seu ticker é BBRC11. Observe que seu ticker é uma espécie de resumo do nome.

Negociando FIIs

Através do telefone ou home broker de sua corretora, você poderá negociar fundos que sejam de seu desejo. Para isso é fundamental que você lembre dos seguintes pontos:

  • Decida qual é o fundo: antes de mais nada você deverá ter escolhido o fundo no qual deseja investir e saber qual é o seu ticker;
  • Valor Unitário e Montante: tenha em mente o valor que você acha justo pagar por uma cota e decida o montante total que investirá, calcule assim a quantidade de cotas que deseja comprar;
  • Análise de Indicadores: através de um home broker utilize ferramentas como gráficos, médias móveis, liquidez, volume negociado e outros para consolidar sua decisão de investimento;
  • Livro de Ofertas: é possível analisar em tempo real quais são as ofertas de compra e venda que investidores de diversas partes do país estão registrando num dado momento. Essa ferramenta é importante para ter uma ideia dos preços e balizar ainda melhor sua ordem;
  • Ordem de Compra: para registrar uma ordem de compra é necessário acessar seu home broker e preencher os campos de ticker (código), preço unitário, quantidade de cotas e confirmar o registro da ordem. Esse processo também pode ser feito por telefone ou app;
  • Confirmação de Ordem de Compra: após sua ordem ser registrada, você deverá aguardar até que uma contraparte aceite sua oferta de compra ou venda e feche o negócio. Ao ser concluída uma negociação, você receberá uma confirmação desse fato através de sua corretora.

Esperamos que este artigo tenha te ajudado. Se gostou ou tem dúvidas comente aqui em baixo e compartilhe este artigo através das redes sociais.

Conheça agora o CURSO COMPLETO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO!

CURSO DE FIIs

Se você se interessou no assunto e deseja aprender mais para investir como um profissional, te convidamos a conhecer nosso curso de Fundos de Investimentos Imobiliários.